Páginas

quarta-feira, 23 de maio de 2012

É preciso agir e avançar


Prezado(a)s,
 Louvável essa iniciativa do Território da Cidadania do Potengi, ir nesse mês de maio/12, buscar na Assembléia Legislativa apoio. A população do Rio Grande do Norte, principalmente, a que é abastecida pela adutora Mons. Expedito precisa urgentemente se mobilizar.  Atualmente essa adutora está ultrapassada e não atende mais a demanda hídrica das regiões Agreste/Trairi/Potengi.
Faz-se urgentemente necessário se resgatar os movimentos "Água para todos" e a campanha "Como conviver com a seca".  Esses movimentos foram fundamentais nas construções de várias adutoras do nosso estado. Estamos vivendo um novo tempo, com uma realidade adversa, o que nos obriga a buscar soluções para o problema da falta dágua, no campo e na cidade. Muitas das propostas que foram feitas nos fóruns em que o Mons. Expedito coordenava, iniciados desde a década de 70, no século passado, ainda são atuais. Muitos deles foram deixados de lado pelos governantes. 
O que foi feito, realizou-se pela via do mais fácil. E diga-se de passagem que houve muita malversação dessas discussões por motivos meramente eleitoreiros. Mesmo com discordância de vozes que participavam desses debates. Tudo bem.
Algo foi feito, mas, que hoje já não atende a expectativa reinante no tempo inicial desses movimentos. Vejamos: o início do sonho das adutoras, (década de 70) era trazer da lagoa do Bomfim água para o município de Riachuelo/RN, precisamente para uma elevação, denominada de Serra Azul e de lá distribuir a água para 14 municípios por gravidade. Nessa época a barragem Armando Ribeiro Gonçalves não existia ainda. O que de forma apropriada aprofundaram-se as discussões da fonte de abastecimento para a Lagoa do Bomfim, no município de Nísia Floresta/RN. Pois bem, a projeção para uma polação X para o ano de 2016 já foi superada hoje, em 2012. A quantidade de cidades abastecidas pela adutora Mons. Expedito, inicialmente era um grupo de 22 cidades, hoje somam 30 municípios, o que denuncia a gravidade do problema da falta dágua.
Existe solução para o problema. Sim. Existe solução. Antes não existia água. Hoje existe. Vamos raciocinar. O sonho de se trazer água para Serra Azul ainda é uma realidade. Mas que desta feita as fontes de águas vão ser invertidas. Em vez de se trazer a água da Lagoa do Bomfim, vamos trazer água da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves para a região Potengi, via Serra Azul, município de Riachuelo/RN, repito. E o que tem de prático nisso? Simples. Fazendo o abastecimento dágua da região Potengi do município de Açu/RN, a adutora Mons. Expedito utilizaria toda a água da lagoa do Bomfim somente para uma parte da região Agreste e região Trairi. Vai ter custos vai. Vai causar transtorno com a reforma do sistema adutor, vai. Mas o problema será resolvido. E vou mais além... porque não se pensar grande e começarmos a sonhar com irrigação da água do Açu/RN, uma vez que a barragem Armando Ribeiro Gonçalves é um ente do complexo da Transposição de Águas do Rio São Francisco.  Essa discussão é boa e salutar.  Por sua vez, isso acontecendo, às regiões Agreste e Trairi teriam uma oferta muito maior de água oriunda da Lagoa do Bomfim. Também nesse contexto deve ser reanalizado a possibilidade de se levar água para o município de Monte das Gameleiras/RN e de lá, por gravidade a região do Agreste reberia água, com custos bem mais barato, com o economia de energia, e ainda, a possibilidade real que essas regiões teriam de não ficarem reféns dos problemas de panes na rede elétrica. Outro ponto de vista a ser analisado é a possibilidade de se levar água do município de Monte das Gameleiras/RN, para o município de Jaçanã/RN e de lá também para o restante da Região do Trairí, por gravidade.
Peço a Deus que ilumine a cabeça de Dom Jaime, agora à Frente da Arquidiocese de Natal, ele que foi também uma peça altamente importante na luta pela construção das adutoras Piranhas/Caicó/RN. O Dom Jaime é um homem de Deus aliado das causas. E foi um bravo aliado do Mons. Expedito nessa luta em defesa dos povos sedentos do Nordeste e do Rio Grande do Norte. Sou testemunha disso. Fui por duas vezes a sua residência em Caicó a pedido do Mons. Expedito, colher informações de como andavam as obras da adutora do Seridó. Sempre fui muito bem atendido e saía de lá movido de esperanças que esse movimento das águas no Rio Grande do Norte tivesse êxito. E teve. E ainda terá muito mais. Se Deus quiser. E Deus vai nos iluminar novamente e a cabeça dos nossos governantes.
No momento é preciso muita lucidez e compreensão. Racionar água deve ser prática de todos. E a bem da verdade, enquanto os poços que estão sendo revestidos nas proximidades da Lagoa do Bomfim em Nísia Floresta não funcionam é preciso economizar água, racionando o que for possível.
Creio que se faz muito importante a imprensa do nosso estado começar também, a exemplo de quando aconteceu o “Movimento das Águas”, se colocar como principal agente de disseminação desse sentimento de cidadania. Creio que nesse tempo. Tempo dos blogs tudo será mais fácil. Vamos à luta.  Tenho dito.
Wlw.  Forte abraço.


Movimento Água para todos
Hugo Tavares Dutra
Um Expeditiano

2 comentários:

Anônimo disse...

Huguin,falando assim é facin facin.
Vc sonha demais camarada,acorda a realidade é outra...

Francisco de assis disse...

ASSIM COMO O SANEAMENTO BÁSICO ,ÁGUA TRATADA E DE BOA QUALIDADE,É UM DEVER MORAL ,QUE ESTÁ FALTANDO DO GOVERNO FEDERAL,PARA MUITOS MUNICIPIOS BRASILEIROS.