Páginas

sábado, 5 de outubro de 2013

O Brasil excêntrico

O Brasil é o país da diversidade e disso todos nós sabemos. É o país dos vestais mais hipócritas e dos corruptos mais descarados. É o país dos eleitos descomprometidos com o povo e dos eleitores descomprometidos com o voto. É o país do “faz-de-conta”. Tudo isso é o nosso maravilhoso e encantador país.

Rosalba : grita mais alto do que as vaias recebidas?

Cena 1. Nesta semana, na quarta-feira (2), véspera de um feriado absurdo no RN, a presidente da república, Dilma Roussef, recentemente alvo de manifestações reacionárias de grupos com discursos libertários e atitudes fascistas, veio ao esculhambado RN para a inauguração de unidades do Instituto Federal de Ensino do RN (IFRN) em Canguaretema, São Paulo do Potengi e Ceará-Mirim, num evento oficial, ou seja, com convidados das representações institucionais.

O ato, realizado em Ceará-Mirim, um dos berços de uma decadente oligarquia, tomou ares de festa, mas a vaia que os presentes deram na governadora do RN, Rosalba Ciarlini, gerente do governo dos Rosado, foi tão forte, que a presidente Dilma fez, eu diria, uma protocolar, e infeliz, defesa da vaiada. Protocolar mesmo e sobrou vaias prá ela também. Bem feito. 

Os que vaiaram o decrépito governo do clã Rosado, que até recentemente era alegremente apoiado pelo PMDB, estão vivendo, na pele, a “forma de governar” do DEM e parece que não gostaram.

Cena 2. Os políticos locais, acompanhando uma tendência tradicional em períodos pré-eleitorais, começaram o troca-troca desavergonhado de partidos, sem nenhum escrúpulo. O grande lance é o tempo de televisão e o acesso ao fundo partidário. Foram criados, inclusive, dois partidos novos, o Solidariedade, nascido das entranhas da Força Sindical (FS), e liderada pelo deputado federal Paulo Pereira da Silva, até então no PDT, que é da base aliada do governo Dilma, mas que sempre flertou e apoiou a candidatura de Aécio Neves (PSDB). Pois bem, o Solidariedade nasce para ser mais um suporte da candidatura de Aécio e já se fala que poderá ter, vejam só, até 30 deputados federais.

Já o Partido Republicano da Ordem Social (PROS), nasce fruto da revoada de governistas que estavam no PSB, quando este embarcou na candidatura presidencial de Eduardo Campos, que comanda a legenda. Já aderiram 18 deputados federais e há a perspectiva de até 28 deputados federais.

No RN o deputado estadual Fábio Dantas, que era o dono do PHS, deve ter recebido uma visita do além e rapidamente aderiu aos princípios marxistas-leninistas do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), aderindo à nova ideologia e trazendo, obviamente, os votos do seu curral. Outros deputados, como o presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Motta, tratou de ingressar no PROS. E lá nave vá.

Cena. Ontem (3) o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cumprindo as regras eleitorais negou, por 6 votos a 1, a legalização da Rede Sustentabilidade, um amontoado de personagens diferentes entre sí, mas com um discurso pseudo-progressista liderado pela ex-petista e ex-verde, Marinal Silva. 

O grande defensor da quebra da legalidade foi o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, um desses vestais anti-petistas, que no julgamento do “mensalão”, bradava aos quatro ventos sobre a necessidade do “império da lei”. Durma-se com um barulho desses.
O que se esperar disso?

Do Blog Ranzinza

Um comentário:

Fábio Oliveira disse...

"O Brasil é o país da diversidade e disso todos nós sabemos. É o país dos vestais mais hipócritas e dos corruptos mais descarados. É o país dos eleitos descomprometidos com o povo e dos eleitores descomprometidos com o voto. É o país do faz-de-conta”

Quando fala-se em país do "faz-de-conta", dentre outras coisas tão fantasiosa quanto diversas outras coisas nesse mundo da imaginação, devemos também incluir os concursos públicos feitos no Brasil afora, onde pessoas se dedicam a vida todinha para poder passar e conquistar o tão sonhado emprego público efetivo, mas empacam nas cartas-marcadas por seus governantes.

Neste contexto exitem tanto o lado da injustiça perante as pessoas que se dedicam toda a sua vida para poder passar em um concurso público, como também colocar pessoas desqualificadas e corruptas para assumir um cargo público.

Mas, como já foi dito antes, vivemos no país do faz-de-contas, e podemos fazer até uma analogia a história de Peter Pan, onde o Brasil seria a terra do Nunca, os brasileiros seriam as crianças que não cresceriam nunca, e o Capitão Gancho seriam os governantes, ele detesta Peter Pan obsessivamente, como também aos Meninos Perdidos, e está disposto a persegui-los a vida inteira na esperança de vê-los andar na prancha e matar Peter Pan.

CAMPANHA: "Vamos combater a praga Endêmica e Epidêmica dos político-corrupto de todo o BRASIL"!!!